falcoaria-1
hobby

Falcoaria: conheça a arte de treinar aves de rapina

Curioso para saber um pouco mais a respeito da Falcoaria? Nós também estávamos! Por isso, resolvemos participar de uma palestra a respeito desta arte milenar. Além de termos aprendido muito a respeito deste hobby e profissão, tivemos a oportunidade de trazer mais informações para você, que pode acabar encontrando uma nova atividade para exercer.

A palestra, oferecida pelo Colégio Saint Germain EJA e Preparatórios, foi lecionada pela Bombeira Civil Letícia Trindade, e trouxe uma série de informações importantes a respeito da falcoaria para nós e para os estudantes que participaram da atividade. Confira:

O que é a Falcoaria?

A falcoaria é a arte de criar, treinar e cuidar de falcões e outras aves de rapina. É considerado um esporte nobre e muito recompensador. Essa atividade é praticada desde 4.000 a.C. e era usada para a caça de pequenas aves e quadrúpedes. Possuir falcões selvagens, na Idade Média, era um símbolo de status, embora até mesmo camponeses utilizassem as aves para obter alimentos.

Hoje, a falcoaria é tida como um hobby e é muito utilizada para a reabilitação de animais. No Brasil, usar o animal para caça é proibido, com exceção da utilização para controle de pragas em aeroportos, hospitais e galpões ou reabilitação da ave.

Em 2010, esta arte foi classificada como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO.

As aves de rapina

falcoaria-4

Foto de Doug Swinson no Unsplash.

Só existe uma forma de ter uma ave de rapina no Brasil: comprando. Não é possível legalizar animais silvestres. Hoje, existem quatro criadouros autorizados pelo IBAMA para reprodução de aves de rapina:

  • Enfalco – MG
  • Fukui – RJ
  • Hayabusa – RS
  • Cerefalco – MG

Além disso, não é qualquer ave que você pode treinar. No Brasil, apenas essas espécies podem ser treinadas:

  • Falco sparverius (Quiri-quiri)
  • Tyto furcata (Coruja-da-igreja)
  • Falco femoralis (Falcão-de-coleira)
  • Parabuteo unicinctus (Gavião-asa-de-telha)
  • Bubo virginianus (Corujão)
  • Micrastur semitorquatus (Falcão-relógio)
  • Accipiter bicolor (Gavião-bombachinha-grande)
  • Buteo brachyurus (Gavião-de-cauda-curta)
  • Falco rufigularis (Cauré)
  • Geranoaetus albicaudatus (Gavião-de-rabo-branco)
  • Buteo nitidus (Gavião-pedres)
  • Geranoaetus melanoleucus (Águia-chilena)
  • Falco peregrinus (Falcão-peregrino)

Quer se tornar um falcoeiro?

Com certeza a falcoaria é um hobby gratificante, onde você terá um grande companheiro ao seu lado. Porém, algumas coisas devem ser levados em consideração antes de você tomar essa decisão:

  1. Tenha certeza de que você conseguirá dedicar o tempo necessário – Este hobby irá afetar a forma como você usa o seu tempo durante anos. Além da ave precisar de cuidados constantes, o processo de treinamento do falcoeiro dura cerca de 2 anos, sendo necessários cerca de 7 para realmente ser um mestre nessa atividade.
  2. Estude constantemente – Você vai precisar estar sempre procurando mais informações e verificando se você está fazendo tudo de acordo. O conhecimento é essencial para essa arte. Entrar em contato com outros falcoeiros é igualmente indispensável.
  3. Veja com antecedência tudo o que irá precisar – Equipamentos, acesso a alimentação, grandes áreas onde você poderá treinar com seu animal, etc. É necessário analisar estes pontos antes de adquirir uma ave.
  4. Analise se você tem o temperamento adequado para essa prática – É necessário muita paciência, carinho e atenção para lidar com uma ave de rapina. Você é responsável por todo o treinamento e necessidades da sua ave.
  5. Entre em contato com a organização de falcoeiros da sua região – Novamente batemos na tecla de reunir o máximo de informações possíveis antes de tomar sua decisão. Fale com especialistas e descubra quais medidas você precisa tomar para, então, adquirir uma ave. Faça um telefonema ou uma visita. Com certeza você receberá muitas informações valiosas.

Resumo das atividades

falcoaria-5

Foto de Fazenda Radical.

Treinar um animal não é tarefa fácil e é uma atividade de grande responsabilidade. Além de todas as etapas do treinamento em si, o falcoeiro e a ave precisam construir uma relação de confiança. Se você já fez todas as suas considerações e pesquisas, saiba que muitas outras atividades o esperam:

  1. No Brasil, o valor de uma espécie de rapina varia entre R$ 1.000 e R$ 10.000. Os equipamentos também podem chegar aos R$ 2.000 ou R$ 7.000 caso você queira adquirir rastreadores. Já a alimentação do animal custa cerca de R$ 250 por mês. Além desses gastos, há consultas veterinárias.
  2. A primeira lição da ave é se acostumar com a presença do treinador. Esta fase é chamada de amansamento. O animal deve passar o máximo de tempo possível no punho enluvado do dono, enquanto o mesmo exerce atividades normais em casa.
  3. Depois começam os treinos de voos controlados, nos quais se dá a isca como recompensa e a obediência é introduzida. Após a ave se acostumar com a isca na luva, o treinador começa a usar o apito para que a ave aprenda a escutá-lo e retornar do voo quando chamada.
  4. Treina-se até ter confiança o suficiente na ave para se efetuar o voo livre, onde a ave é totalmente solta e o treinador acredita que a mesma irá retornar quando for chamada.

Perguntas

falcoaria-6

Foto de Letícia Trindade.

As palestras dadas por Letícia têm como grande objetivo conscientizar as pessoas a respeito da importância da preservação das espécies e apresentar esta atividade aos interessados. Letícia, com 35 anos, é uma Bombeira Civil que tem as aves de rapina e suas técnicas de treinamento como hobby. Desenvolveu o interesse pela técnica através de filmes e histórico cultural, além do fascínio que tinha pelas aves. Mais tarde teve a oportunidade de conhecer um falcoeiro e, assim, pegou gosto pela prática. Durante e após a palestra, tivemos a oportunidade de fazer algumas perguntas para Letícia:

1. Como você começou?

Comecei a fazer pesquisas em 2008 e somente bem depois comecei a me aprofundar sobre as espécies e sobre a arte da Falcoaria no Brasil. Em 2014, quando não encontrei mais materiais adequados em pesquisas online, criei um grupo no WhatsApp com o objetivo de aprender e conhecer falcoeiros experientes. Hoje, nosso grupo conta com a presença de pessoas de outros países. A leitura é muito importante, porém o acompanhamento de um tutor com experiência é indispensável.

2. Qual é a sua ave?

De todas as aves de rapina, corujas eram meu ponto fraco. Entre as poucas comercializadas no Brasil, optei pela Suindara (Tyto furcata), também conhecida como Coruja-da-Igreja ou Coruja-das-Torres. Seu nome é Soren e está com 2 meses (em setembro de 2017), já em fase de treinamento.

3. Fale um pouco mais sobre a Falcoaria

A Falcoaria consiste em treinar aves de rapina para a caça em seu habitat natural. Eu utilizo técnicas de Falcoaria para os treinos com minha coruja como, por exemplo, fazer voos sob meu comando. No Brasil, a caça esportiva com aves não é permitida, somente sendo autorizada para reabilitação de aves e controle de pragas. A ave não é treinada para caçar para si, todo o alimento dado a ela é abatido e comprado (como codornas). Em treino, usamos uma espécie de isca, chamada Lure, onde fica a comida colocada pelo treinador. É uma peça essencial para o treinamento da ave.

falcoaria-2

Foto de Letícia Trindade.

4. Quais são os cuidados tomados com a ave?

É essencial cuidar a alimentação e o peso de acordo com cada espécie. O poleiro também varia de acordo com a ave, pois o uso do poleiro errado pode causar lesões. Pouco se nota a ave bebendo água e devemos cuidar para sempre deixar água limpa tanto para ela beber quando para seu banho. Como pretendo ter mais uma ave no futuro, coloquei um espelho no local onde Soren se alimenta, para já se acostumar a ter “companhia”.

5. Quais equipamentos você utiliza?

Utilizo o bracelete, que é colocado nos tarsos das aves; jesses que são tiras de couro anexas aos braceletes, que você segura para conter a ave; lesh ou trela, que é uma corda resistente fixada ao poleiro; o apito usado para orientar a ave; o lure, onde mantemos a isca para treinamento; uma boa balança para controle de peso; e a luva feita de couro para manusear a ave.

falcoaria-3

Foto de Letícia Trindade.

6. O que você sugere para quem deseja iniciar este hobby?

Muita leitura e encontrar alguém que tenha conhecimento e que possa encaminhar a pessoa da maneira correta.

7. Quais sites e fóruns você recomenda?

Falcoaria online, ANF, ABFPARBússola do Falcoeiro e Diário da falcoaria.

8. Você se encontra com outros praticantes?

Aqui no Sul tenho amigos que já praticam esta arte e sempre que posso procuro me reunir para aprender um pouco mais. Porém são poucos participantes e o grupo no WhatsApp ajuda mais com as dúvidas. No grupo, há muitas pessoas com aves e outras que estão estudando para depois adquirir, que é a maneira correta.

9. Quais são os estágios de treinamento da ave? Quanto tempo pode levar cada estágio?

Quando você recebe sua ave, é preciso passar pelo período de amansamento. Depois vem os saltos a punho e depois o voo livre. Não existe um tempo determinado, isso será avaliado pelo treinador, após observar sua ave.

10. Quando você atinge o final do treinamento, o que acontece?

Sempre há algo para treinar ou melhorar, mas você nunca deixa de controlar o peso e permitir que sua ave voe.

11. Qual os riscos que envolvem a inexperiência do dono?

A grande preocupação é a compra de aves sem conhecimento, pois a mesma acaba sendo altamente prejudicada. Sua alimentação e manuseio incorretos podem levar a sérios danos físicos e temperamentais na ave, bem como seu óbito. Comprar apenas por achar bonito não é uma alternativa.

12. Além do treinamento com sua ave, o que mais você faz que envole esta atividade?

Atualmente, estou com projetos de educação e conscientização ambiental. Dando palestras em escolas para todas as idades. Quem quiser conhecer mais a técnica, pode entrar em contato através do meu e-mail: leticiatche@hotmail.com.

A Falcoaria deve ser levada muito a sério. Não é considerado um hobby casual, pois o treinamento e cuidados com a ave são constantes e o valor para manutenção é elevado. É necessário muito esforço para treinar a ave com qualidade, mantendo sua saúde em dia e exercendo a prática dentro da lei e conceitos éticos. Exige um grande investimento de tempo e trabalho duro. Essa matéria é uma minúscula parcela de informações e é necessário ler muito a respeito desta arte, nos fóruns e sites especializados, antes de iniciá-la.

Mesmo que você não tenha a intenção de praticar a falcoaria como hobby, esperamos que tenha aproveitado as informações, afinal, conhecimento nunca é demais!

hobby-2

Quer adicionar a arte da falcoaria a sua Bucket List? Leia o post, descubra o que é e monte a sua com o auxílio do nosso Pinterest!

Tem interesse na falcoaria? O que achou da nossa matéria? Dê a sua opinião e nos ajude a melhorar cada vez mais!

«

»

2 COMMENTS

  • Paulo

    Olá, como consigo ter acesso a este grupo de wpp sobre falcoaria? Estou iniciando os estudos.

    • Redação Hobbietown
      AUTHOR

      Olá, Paulo! Que legal que você está iniciando na falcoaria! Para ter acesso ao grupo de wpp e mais informações, entre em contato com a Letícia através deste e-mail: leticiatche@hotmail.com
      Explique para ela a situação e fale sobre seu interesse! Obrigado pelo contato e volte sempre para descobrir muitos outros hobbies!

GOSTOU DO POST? QUAL É A SUA OPINIÃO?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.