Roteiro de Lima: o que eu fiz durante três dias na capital peruana

o-que-fazer-em-lima-1

Na nossa série de posts a respeito da viagem que fizemos ao Peru e a Bolívia, já abordamos assuntos como a preparação do roteiro e detalhes, como o soroche, o clima e a moeda. Agora, chegou o momento de falarmos sobre as cidades que conhecemos! Começaremos pela capital peruana e tentaremos responder algumas dúvidas sobre o local, mostrando o que estava incluso no nosso roteiro de Lima. Se você está montando o seu, veja a seguir algumas dicas:

Roteiro de Lima

Quando eu estava indo para lá, montar o roteiro de Lima era uma das minhas maiores preocupações! O que vou fazer lá, onde irei, que locais quero conhecer, etc. Através de pesquisas, descobri alguns lugares muito comentados, mas mesmo assim era difícil imaginar a logística física que eu teria que enfrentar.

Ao chegar lá, descobri que não tinha mistérios. Era muito tranquilo caminhar pela cidade, encontrar o que eu queria ver e descobrir novos lugares que não estavam na lista. É legal manter isso em mente e aproveitar a cidade sem se ater à obrigações.

Gosto de salientar que cada pessoa possui seu próprio estilo de viagem. Embora eu tenha feito uma pesquisa prévia para me situar, eu mantive meu roteiro de Lima bem flexível, sem datas, ordens e horários, de forma que isso me permitisse explorar os arredores mais livremente e absorver a atmosfera dos locais que eu estava conhecendo. Após pesquisar muito sobre roteiros, eu marquei alguns poucos pontos que eu considerava obrigatórios e muitos outros que eu selecionei, mas que tudo bem se não desse para conhecer.

Todos os locais que percorri estão marcados no mapa abaixo. O uso das etiquetas foi explicado no nosso post sobre o roteiro, caso queira conferir. Use o mapa para se situar durante o post, conforme falamos sobre o nosso roteiro de Lima. Vamos lá?

Bairros

Os principais bairros que frequentamos foram Barranco (onde estava nosso apartamento alugado), Centro Histórico, Surquillo, San Isidro e, é claro, Miraflores. Todos podem ser visualizados no mapa acima.

Eu estava acompanhada por um familiar e me senti muito confortável para percorrer os bairros e conhecê-los a pé. Em um dos dias, caminhamos de Barranco, onde estava nosso apartamento, até o Larcomar, o Parque del Amor e o Parque Central de Miraflores. O passeio foi extremamente agradável, pois fomos costeando a avenida Circuito de Playas. Assim, acompanhamos o litoral de Lima e visualizamos o Oceano Pacífico durante quase todo o passeio.

Foi bem tranquilo percorrer os caminhos que fizemos a pé. Não nos sentimos inseguros ou ameaçados em nenhum momento. Só pegávamos taxís quando eram pontos distantes entre si ou final do dia.

1º dia

Primeiro, é importante salientar que eu cheguei bem no final do dia, quase meia-noite. Então só cheguei no apartamento e fui dormir para começar cedo no dia seguinte.

Centro Histórico
o-que-fazer-em-lima-2
Igreja de la Recoleta.

No primeiro dia, então, fomos ao Centro Histórico de Lima. Lá, passamos por lugares como a Igreja de la Recoleta, Praça de San Martín, Jirón de la Unión (uma espécie de calçadão, com várias lojas e afins), Igreja de la Merced, Praça de Armas de Lima, alguns museus, outras igrejas e dois bares. Todos os locais estão marcados, em ordem, no mapa.

Além de entrar em alguns lugares, passeamos bastante pelo centro e fomos a pé de um local para outro. A Praça de Armas de Lima é um belo lugar para ver os famosos balcões em estilo colonial espanhol (como os da primeira foto do post). Tanto a Praça de Armas quanto a Praça de San Martín são muito bem iluminadas durante a noite.

o-que-fazer-em-lima-3
Catedral de Lima | Pisco Sour no Bar Maury

Permita-se um tempo para explorar os arredores. Aproveite o passeio e vá até o Bar Maury experimentar o famoso Pisco Sour, bebida peruana (ou chilena, conforme polêmica), feita com pisco (um tipo de aguardente de uva), limão, açúcar e claras de ovos. O bar, que funciona desde 1821, declara que a famosa bebida foi criada no local. Verdade ou não, vale a pena experimentar a bebida.

Finalizamos nossa visita ao Centro Histórico e fomos até o Circuito Mágico del Agua, no Parque de la Reserva. O Parque é muito amplo, limpo e famoso pelos shows noturnos de luzes e água. Gostaria de ter chegado mais cedo para conhecer melhor o parque e suas belezas, mas conseguimos apreciar o espetáculo e descobrir um pouco do parque.

2º dia

Após um café da manhã reforçado, com pães, queijo e café local, começamos nossa jornada.

De Barranco a Miraflores

o-que-fazer-em-lima-4

No dia seguinte, caminhamos do nosso apartamento até Miraflores, costeando o litoral de Lima. Se você gosta de caminhar e observar, aconselho fortemente uma longa caminhada pela beira das falésias (acompanhando a rua). Foi um dos momentos nos quais mais me senti conectada a Lima.

Caminhar pela extensão do Malécon (calçadão) de Miraflores é um passeio muito agradável. O local tem pista de caminhada, de ciclismo, muitas flores, verde, bancos e diversas atividades acontecendo ao seu redor. A população também adora o local e ele está sempre movimentado. É gostoso observar as pessoas aproveitando com suas famílias e amigos um espaço tão lindo e amplo.

Larcomar
o-que-fazer-em-lima-5
Larcomar.

Tirando alguns lugares para observarmos e tirarmos fotos, essa foi nossa primeira parada. O Larcomar é um shopping a céu aberto, construindo sobre uma falésia, com vários restaurantes, lojas e cinema. É um lugar incrível, com vista panorâmica para o contorno que o Oceano Pacífico faz na cidade.

Os restaurantes, instalados na beirada, oferecem lanches, almoços e jantas com uma vista suspensa de tirar o fôlego! Infelizmente Lima está constantemente nublada, mas, se você tiver sorte, pegará um dia de sol!

Parque del Amor, Parque Kennedy e Parque Central de Miraflores
o-que-fazer-em-lima-9
Parque del Amor.

Após sairmos do Larcomar, caminhamos até o Parque del Amor, famoso ponto turístico. É um espaço bonito, mas eu esperava um pouco mais. A orla toda em si é muito bela, verde e única. Nesse sentido, o parque não tinha nenhum diferencial exclusivo, além da escultura El Beso. Tinha bastante pessoas (locais) nos muros e ao redor. Não vejo ele como um ponto específico que precisa ser visitado, mas, sim, um pedaço de um todo muito mais amplo e completo.

Após isso, caminhamos até o Parque Kennedy e o Parque Central de Miraflores (basta seguir reto na rua Balecón Balta). Eu adorei muito esses dois parques. Explorei bastante essa parte, conhecendo lojas, provando comidas que eram vendidas na rua e vendo o trabalho de alguns artistas que estavam espalhados. Foi ótimo para descansar e observar a população.

No final do dia, retornamos ao Larcomar pela mesma rua para jantar no Tanta, em um cômodo suspenso com grandes janelas de vidro que permitiam uma bela vista para o Pacífico. No caminho, paramos para entrar em um Cassino, apenas para olhar e conhecer.

3º dia

No último dia na cidade, continuamos a conhecer alguns pontos turísticos e retornamos à lugares dos quais gostamos.

Huaca Pucllana
o-que-fazer-em-lima-7
Sítio arqueológico Huaca Pucllana.

Existem três sítios arqueológicos na cidade de Lima: Huaca Pucllana, Huallamarca e Pachacámac. Ir ou não ir em um ou mais sítios arqueológicos é uma escolha sua e varia com o objetivo da sua viagem. Esses sítios mostram como as civilizações pré-incas eram constituídas e como eram suas formas de viver. Esse conhecimento extra é uma forma de você compreender melhor a civilização Inca ao chegar em Macchu Picchu e ao visitar o Valle Sagrado.

Nesses sítios, você pode ver ruínas de pirâmides e se perde imaginando como seria a vida naquele lugar, há tantos anos atrás. É realmente uma experiência complexa, que vai além de uma fila de turistas seguindo um guia através de restos. Fora isso, o passeio é simples. As explicações são passadas pelos guias em inglês e espanhol. Aconselho escolher a língua local, pois é de fácil entendimento e as explicações são mais completas e menos confusas.

Seguindo nosso roteiro de Lima, optamos por conhecer o Huaca Pucllana, por estar próximo e por ser o sítio mais visitado por turistas. Acredita-se que o templo era usado como local de sacrifício humano, para acalmar as deusas. Era um templo reservado para a elite, sacerdotes e nobres. Os pesquisadores acreditam que essa área era no mínimo seis vezes maior que atualmente.

Se você tem dúvidas durante as explicações, fique à vontade para questionar. Os guias possuem muitas informações que não são ditas nas explicações padrões.

Parque El Olivar e Mercado de Surquillo Nº 1
o-que-fazer-em-lima-8
Parque El Olivar | Produtos no Mercado de Surquillo Nº 1

Depois de visitar o sítio arqueológico, caminhamos pelo bairro e chegamos ao Parque El Olivar. Lima possui dezenas de parques limpos e bem cuidados e este é um ótimo exemplo. O bairro San Isidro se desenvolveu ao redor deste parque, que possui mais de mil oliveiras e é um motivo de orgulho para a região. Havia diversos moradores passeando e foi muito agradável descansar no parque antes de seguir com o passeio.

Após isso, fomos até o Mercado de Surquillo Nº 1. Os mercados públicos são pratos cheios para quem é curioso, curte gastronomia e quer ver mais da vida local. No Mercado de Surquillo você verá uma quantidade incrível de grãos, condimentos, frutas e legumes! Inclusive, é um ótimo local para conhecer os vários tipos de ajís, batatas e milhos que você encontra no Peru. Aos domingos, acontece uma feira de produtos orgânicos na lateral do mercado.

Finalizamos o dia retornando para o Parque Central de Miraflores e o Larcomar para nos despedirmos da cidade e aproveitar um pouco mais esses locais dos quais gostamos muito. No dia seguinte, acordamos cedo para pegarmos o ônibus para Paracas.

Considerações finais

o-que-fazer-em-lima-6
Miraflores, vista para o Parque del Amor.

Em Lima nunca chove e isso pode ser ótimo para turistas! Aproveite para fazer os variados passeios ao ar livre que a cidade oferece, sem ser pego desprevenido. Além disso, a cidade é segura e o povo peruano é muito disposto.

Como você pode ver, meu roteiro de Lima foi simples e descomplicado, mas ao mesmo tempo muito proveitoso! Esperamos que nossas dicas tenham auxiliado. Além dos principais pontos que mencionamos, ainda há alguns que estão marcados no mapa, pelos quais passamos. Aconselhamos explorar um pouco mais, para não deixar nada de fora! Ficaremos felizes em responder possíveis dúvidas sobre os locais mencionados ou marcados no mapa. Fique à vontade para entrar em contato!

Antes de ir, eu estava me sentindo um pouco confusa e ansiosa, mas, ao chegar lá, vi que era muito fácil achar os pontos do roteiro. Leia um pouco sobre os lugares e selecione alguns, mas não faça disso uma tarefa trabalhosa. Precisa ser algo divertido e interessante!

Por enquanto era isso, hobbitantes, nos vemos no próximo post, no qual iremos abordar a cidade de Paracas e nossa visita as Islas Ballestas e a Reserva Nacional de Paracas. Fiquem ligados!

Já conhece Lima? Qual outro local você considera imperdível? Compartilha sua experiência com a gente!

avatar

Redação Hobbietown

Além de apresentar assuntos variados e ecléticos, também temos como objetivo instigar a curiosidade do habitante, incentivando a busca por informação e a motivação pela ação. Queremos que você se inspire e tenha acesso as ferramentas necessárias para lapidar e polir seus novos conhecimentos, a fim de que se envolva cada vez mais com atividades que lhe proporcionem alegria, satisfação e prazer. Bem-vindo a Hobbietown!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.